“carta à igreja de éfeso”

O Caminho Eterno

Disse Jesus:                      Sou o Caminho

Introdução: Iremos nos próximos domingos, a partir de hoje, meditar sobre as cartas de Jesus às 7 igrejas da Ásia, Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodicéia.

Jesus revelou a seu servo, o apóstolo João essas cartas, com o intuito de orientar sua igreja quanto as situações que precisavam de modificação no seio da Igreja.

  Muitos estudiosos tem afirmado que cada carta escrita estaria enfatizando as fases históricas da Igreja, ao longo dos séculos, outros há que dizem, ser cada carta referente aos diversos tipos de igrejas, que coexistem em um mesmo contexto histórico e cultural, mas cujo procedimento diferem uma das outras. Existem também aqueles que defendem a idéia de que cada carta refere-se na verdade aos diversos tipos de crentes dentro de uma mesma igreja local. Assim, temos crentes que agem com os crentes de Éfeso, outros como os de Esmirna, outros como os de Pérgamo e asssim por diante.... Sem nos determos muito em nenhum destes aspectos, preferimos pensar no conteúdo de cada carta e o que ela fala para cada um de nós hoje.

   Hoje estaremos iniciando com uma reflexão a respeito da carta à Igreja de Éfeso.

   Voltando ao Primeiro Amor. Apoc. 2.1-7

 

Um pouco da história da Igreja de Éfeso.  At. 18.24ss..—Apolo, Paulo, Áquila e Priscila

Ao Anjo da Igreja em Éfeso (Pastores ou Anjos?) v.1

Aquele que tem as sete estrelas Ap. 1.16,20

Os anjos – pastores transmitindo luz ou anjo que é protetor de cada igreja?

Aquele que anda no meio dos sete candeeiros

As estrelas – 7 igrejas – transmitindo luz

    Cristo anda no meio dos sete candeeiros

    Presença contínua – “Eis que estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos”.

    Cuidadosa vigilância – Para o bem estar da Igreja

    Alertando constantemente à Igreja – Quanto aos perigos do mundo

    Conduzindo a Igreja a ações dignas – “Sem mim nada podeis fazer”.

 

O Senhor conhece o trabalho de sua Igreja v.2

a -Conhece as nossas obras – boas ou más

b -Conhece o nosso trabalho – ação da qual resulta a obra – Igreja muito ativa

c -Conhece a nossa perseverança ou paciência

     labor – serviço ativo até a exaustão – ódio ao mal

d –Não suporta o mal – lutando contra o gnosticismo

Os autores do mal eram os nicolaítas (seita segundo a qual seu líder os conduzia a uma permissividade. Segundo estudiosos, Nicolau, foi um dos sete diáconos escolhido pela igreja primitiva, que tinha uma esposa muito bonita, que era cobiçada por muitos homens. Nicolau então, para mostrar seu desapego a tudo inclusive. Entregando sua mulher para saciar os apetites luxuriosos dos homens da igreja. Assim, se iniciou a seita dos nicolaítas.

Eram gnósticos: achavam que a matéria era má e que devia ser destruída com a contaminação do corpo. Para eles a imoralidade não contaminava a alma.

 

O erro – Deixou de lado os princípios fundamentais do Evangelho v.4

Deixaram o ardor inicial do amor

Deixaram de desenvolver o maior dom

Deixaram de lado o fruto do espírito

 

O Senhor faz uma advertência por Amor v.5

Refletir sobre o que causou a queda

Arrepender-se – Metanóia – mudar o rumo

Voltar às primeiras obras de amor.

O cristão deve viver o primeiro amor por toda sua vida, não em determinados momentos – não existe cristianismo verdadeiro sem o exercício do amor.

Não vivemos religião, não pregamos religião. A religião nos condiciona a praticarmos rituais, a praticarmos as regras estabelecidas no credo professado. Jesus ao contrário, diz que a verdadeira religião é o amor que se externa através de ações que demonstram a nossa nova natureza.  É necessário darmos Ouvidos ao Espírito Santo

 

O Senhor faz promessas ao que permanecer v.7

O vencedor comerá da Árvore da Vida – Gn. 2.9  / Ap. 22.2

O vencedor viverá no paraíso de Deus—Lc. 23.42 – Jesus e o ladrão arrependido

 

Conclusão: Jesus lhe convida a juntar-se a Ele caro irmão e praticar o amor. Não amor fingido, que é demonstrado exteriormente, mas distante do coração. É necessário voltar às origens do amor que é o próprio Jesus, o próprio Deus. A Bíblia diz que Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu único filho, para que todo aquele que crer em Jesus não vá para a morte eterna, mas tenha a vida eterna. A palavra de Deus também diz: Deus prova seu amor para conosco, em que Jesus morreu por nós , sendo nós ainda pecadores. A Palavra também diz: Aquele que está em Cristo, nova criatura é, as coisas velhas já passaram tudo se fez novo. Também a Palavra de Deus diz: Nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós, pois Deus é Amor. Você quer experimentar deste amor, venha entregue sua vida a Jesus, ele é a essência do amor de Deus. Você quer voltar ao primeiro amor. Então levante sua mão  e entregue sua vida a Jesus.

Copyright ©—www.bibliabrasil.net76.net—Todos os direitos Reservados